Todo administrador sabe ou pelo menos deveria saber qual é a real importância e o valor do fluxo de caixa para análise financeira e tomada de decisões em toda e qualquer empresa. De maneira simples, o fluxo de caixa representa as entradas e saídas da empresa dentro de um determinado período de tempo. 

 

Essa demonstração apresenta como foi a performance da empresa. Essa análise deve ser realizada periódica e constantemente, pois é capaz de interferir nas tomadas de decisões presentes e futuras. É um grande erro tomar alguma decisão sem antes olhar para o fluxo de caixa. 

 

Saber analisar os dados corretamente e saber como funciona ajudará o administrador a ser assertivo em suas decisões. 

 

Será que analisar o fluxo de caixa é tão simples assim?

A resposta é sim, pode ser simples, mas não é tão simples assim. Se todos os cuidados forem adotados e as ações prévias forem tomadas, quando geramos um fluxo de caixa para analisar começaremos com o pé direito, caso contrário, teremos empecilhos no caminho. 

Administradores com pouca experiência ou descuidados ou que não conhecem bem técnicas de gestão financeira, cometem erros que podem impactar negativamente em decisões. Na teoria, se a empresa possui dinheiro em caixa por um tempo é sinal de que está tudo bem, ou seja, a empresa está dando lucros, mas esta não é uma verdade absoluta. 

A gestão financeira é composta por subsistemas, como: contas a pagar e a receber, fluxo de caixa, índices e métricas, resultados esses que estão entrelaçados. Por esse motivo, é possível você ter dinheiro em caixa, mas não ter lucro ou o oposto, estar sem dinheiro em caixa, mas ter lucro. 

Veja um exemplo, imagine uma situação onde o prazo para pagamento dos fornecimento é de 30 dias e o prazo para recebimento dos clientes é de 30, 60 e 90 dias. Em um determinado período, o fluxo pode demonstrar um saldo negativo, o que é resultado de um processo comercial-financeiro, mas que não indica um resultado negativo em questão de lucratividade. Cada contexto, cada análise, cada indicador deve ser considerado individualmente, mas para tomar decisões assertivas é preciso realizar uma análise aprofundada e abrangente. 

 

Cuidados na análise

Alguns cuidados precisam ser tomados antes mesmo de ser feita a análise do fluxo de caixa, se esses cuidados não forem tomados é possível que as decisões tomadas não sejam tão boas. 

O fluxo de caixa precisa refletir a situação real do período analisado, ou seja, todas as entradas e saídas que impactem esse período precisam ser lançadas no controle, no caso, contas a pagar e a receber. 

Nas receitas, as previsões de recebimentos duvidosos, os atrasos conhecidos e previsíveis provocados por alguns clientes devem ser consideradas na análise. Já quanto às despesas, os impostos que podem e são pagos parceladamente, os empréstimos, financiamentos, juros, amortizações  também devem ser considerados para a análise. Algumas previsões como: férias, décimo terceiro, encargos sociais, acordos trabalhistas, acordos comerciais, também devem constar na análise. 

A RTA conta com o Sistema Livro Caixa que facilita a sua vida na questão de receitas e despesas, contas a pagar e a receber, além da impressão de recibos para pagar. Venha pra RTA Sistemas e teste a versão completa dessa ferramenta por 15 dias grátis!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.